Páginas

Patrocinado

domingo, 31 de julho de 2016

ENCONTROS, DESENCONTROS... e os mecanismos de defesa do Ego




Há duas maneiras de sermos enganados:
uma é acreditar no que não é verdade, e a
 outra é se recusar a acreditar no que é verdade.
Deijone do Valle

Gênesis... que eu mude agora e sempre que precisar. 

Olhe ao seu redor e dê uma boa espiada no mundo em que vivemos... caótico, inseguro e amoral... mas também sublime, cheio de esperanças e de pessoas... um verdadeiro paradoxo. 

Ah! Humanidade!

Você já olhou para trás, em retrospectiva e verificou o quanto de seus sonhos, metas, objetivos e planos se realizaram?

Não realizaram? Tomou a estrada errada? Onde estão os sentimentos nobres de sua alma?

Adormecidos, anestesiados ou mortos?

Talvez estejam apenas adoecidos por ressentimentos, mágoas, desejos de vingança e retaliações. Você desistiu? Está com medo? Apático e inseguro? 

É melhor acertar logo essa diferença entre sentimentos e ações, emoções e razão, uma tarefa extremamente delicada e complexa, e que qualquer um de nos deverá fazer como um rotineiro dever de casa.

Esse é o desafio: acertar o compasso daquilo que somos, do que queremos ser e daquilo que precisamos vir a ser... grande desafio e eu te desafio.

Devemos explorar o nosso consciente, e o inconsciente também, para promover algumas associações sobre alguns acontecimentos e interpretar o que eles significam verdadeiramente em nossas circunstâncias.

Em nossas vidas existem coincidências significativas, aqueles acontecimentos que não conseguimos explicar mas que sinalizam algo significante e isso acontece o tempo todo. 

A dificuldade é que muitas vezes fixamos o olhar naquilo que nos falta e não em nossas potencialidades e plenitude, e assim ficamos explorando apenas carências.

O que vai bem? E o que não vai bem? Feridas sangrando? Será que não são feridas narcísicas, cultivadas com esmero e que servem para relativizar o que somos?

Examine calmamente suas angustias, seus conflitos e suas zonas de desequilíbrios, seus impulsos  instintivos reprimidos e suas fantasias.

Explore suas fronteiras psíquicas e veja como se interconectam com o mundo externo, ou seja, seus conflitos pessoais, impulsos e as defesas de seu ego, com as habituais resistências aos indesejáveis afetos que promovem uma “blindagem de caráter” tão conhecidos dos psicanalistas que são os mecanismos de defesa do ego como: isolamento, repressão, introjeção, regressão, anulação, reversão, formação reativa, projeção, inversão e sublimação.

Estes mecanismos de defesa nada mais são do que maneiras diferenciadas de um indivíduo se manifestar frente aos seus conflitos instintivos e seus afetos, confrontando-os com a resistência de seu ego, os quais são manifestados individualmente expressando de forma personalíssima a sintomatologia, que observamos nos pacientes, principalmente nas neuroses.

Medo e ansiedade são inibidores da nossa capacidade em levar a diante escolhas de qualidade, uma vez que os conflitos internos estimulam pensamentos irracionais, intensificando a ansiedade assumindo o controle do cérebro.

É necessário o exercício diário da paciência, cultivando a serenidade e não permitindo que o estresse queime toda a sua energia mental minando o neo-córtex, e assim promovendo o desequilíbrio de suas funções e retirando a eficácia do funcionamento. 

Você já percebeu que existem pessoas que conseguem despertar o que temos de melhor? 

Em contrapartida outros, o que temos de pior.

É incrível quando encontramos pessoas que brilham internamente de forma tão intensa que extravasam sua luz para outros e contagia todos a sua volta e que sem elas a vida fica rasa.

Pessoas deliciosas que não ficam preocupadas com o sucesso alheio cultivam o bom humor e sempre tem um sorriso para você.

Pessoas que sabem perdoar sabem pedir desculpas, sabem voltar atrás em opiniões assumindo as consequências, sempre prontas a acolher, abraçar, cuidar e oferecer afeto.

Pessoas que conhecem nossos defeitos, mas não os evidencia, não nos pressionam com seus argumentos lógicos, concretos e sempre irrefutáveis.

Pessoas que não subestimam sua timidez, sua insegurança e fraqueza.

Isso nos confronta com o tipo de pensamento que provavelmente estamos condicionados a ter e a maneira que escolhemos para percebermos a vida.

Nada melhor do que estar consciente de nossos pensamentos e atitudes, e para que isso aconteça é necessário percebermos o nosso Ego, esta fonte autocentrada, narcísica, egoísta e que algumas vezes nos faz esquecer a compaixão e a empatia. 

Ego, essa fonte extravagante de energia psíquica sempre em busca de gratificação, sempre produzindo sentimentos de tensão devido imperativos defensivos de suas fronteiras.

Uma das funções do ego é sintetizar e fazer com que os impulsos do id se harmonizem com a censura do superego estabelecendo a paz na psiquê.

Caso contrário se o ego não ganhar leveza transforma-se em fardo com seus habituais mecanismos de defesa.

Logicamente, uma das funções do ego é a autopreservação, no entanto, necessita estar em consonância com outras variáveis, este ego deve funcionar como um bom advogado promovendo uma psicodinâmica entre a fonte primária de energia que é o id, cujo impulsos atendem demandas físico químicas do organismo na obtenção de diversos fins, imediatos ou não,  como a libido ou Eros, energia sexual, e o Tanatos, impulsos de morte, nessa eterna  guerra entre vida e morte. 

A energia mental no sentido destrutivo ou construtivo, tem como fonte o id e é regido pelo princípio do prazer, pelo imediatismo do aqui e agora e está à serviço do ego na sua luta adaptativa, ou  alimentando as pressões do superego, que sempre buscará censurar, um verdadeiro carrasco acusador. 

Id, Superego e Ego são estruturas psíquicas que apesar de independentes não podem ser consideradas separadamente em seu funcionamento.

Imagine a seguinte cena: O Id diz: “Estou tenso porque quero esta BMW e vou roubá-la”...

Imediatamente o Superego retruca: “Não roube, você será preso”...

Então o Ego, como um bom mediador pondera: “Você poderá ter esta BMW, basta trabalhar dobrado, economizar  e assim terá como comprá-la”.

O Ide age pelo impulso imediatista, o Superego censura bravamente, mas uma personalidade equilibrada dependerá sempre de um Ego fortalecido que fará a harmonia reinar no psiquismo.

Caso esse equilíbrio não venha a acontecer, teremos padrões desviados de normalidade, mas um ego fortalecido encontrará saídas para agir na dinâmica psíquica interagindo no substrato energético que é o organismo como um todo.

Os mecanismos de defesa do Ego, em sua maioria são inconscientes e sua função é de proteção e de manter a estabilidade emocional, no entanto, estes mecanismos de defesa se utilizados inadequadamente levará a distúrbios psicológicos, caso funcione adequadamente cumprirá o seu papel.

Por exemplo, o mecanismo de defesa: “Compensação”, visualize em sua mente pensante um homem que não cresceu e que ficou com a estatura reduzida poderia sentir-se inferiorizado, então se esforça ao máximo para desenvolver uma grande capacidade intelectual e fica famoso, mas não tem consciência que foi seu sentimento de inferioridade que gerou  a motivação para a fama.

No mecanismo de defesa: “Negação“, este é um dos mais primitivos que existe em nosso Ego, e consiste em bloquear percepções que o indivíduo não aceita em sua realidade imediata.

Como vemos as atividades mentais funcionam com alguns mecanismos de defesa do ego e são utilizados exatamente para manter a homeostase psíquica.

No consultório fica evidente a percepção de que o Ego, é um antagonista do terapeuta.

O nosso Ego é uma tremenda força emergente dos processos inconscientes, e logicamente promove uma resistência ferrenha contra o trabalho terapêutico que é minar as operações defensivas do ego e trazê-los à consciência.

É interessante termos um registro dos eventos que desencadeiam em nós emoções exagerados, pois se analisarmos detalhadamente descobriremos coisas interessantes, basta investigar e verificar que tipo de emoção está sendo mobilizada e assim promover transições significativas dessas experiências de puro amadurecimento.

Você se recorda de algum momento emocional decisivo que você superou com graça? 

Isso te propiciou descobertas? Você já teve algum encontro original que lhe rendeu uma sintonia extraordinária?

Alguns acontecimentos em nossa vida não podem ser mensurados por conceitos temporais, parecem eternos e de uma unidade e unicidade extrema e que expande a nossa mente como afirma a física quântica, essas possibilidades fora do limite do tempo/espaço.

É muito comum sentirmos o olhar de alguém antes de percebermos a presença da pessoa. Sonhos também são grandes aliados, eles podem fornecer soluções incríveis para todos os tipos de problemas da vida real.

Sonhos podem acrescentar soluções inovadoras e nosso cérebro possui uma capacidade de realizar projeções profundas que estão além do tempo e do espaço.

Mantenha sempre um diálogo interno com você mesmo, principalmente quando estiver em dúvida sobre alguma questão, pois o significado mais profundo é conhecido pela nossa psiquê, e a resposta poderá vir através de sua intuição e criatividade.

Ter convicção é algo incrível, pois nosso cérebro está de certa forma programado para reagir às dúvidas com ansiedade e medo, especificamente o sistema límbico está área responsável pelas emoções, e quando assume o comando de imediato promove uma farra de desorganização gerando medo e que pode nos levar ao pânico, e dependendo do que foi armazenado no subconsciente, bloquear nossas possibilidades de enfrentamento.

Emergente se faz a necessidade de se posicionar em novas formas de enfrentamento, como desenvolver decisões e estratégias arrojadas alavancadas por convicções internas que poderão dar suporte ao cérebro e promover um ganho elevado de dopamina, o hormônio da alegria e do bem estar, caso o contrário se houver ansiedade e medo isto eleva os níveis de cortisol, o hormônio responsável pelo estresse que inibe e perturba nossa memória e concentração, desequilibrando o sistema imunológico e tornando nos suscetíveis ao adoecimento.

Cultive sua capacidade em realizar escolhas com convicção,  assim a possibilidade de ser assertivo será maior, pois pessoas que confiam em suas escolhas e exercitam sua  intuição são mais propensas a enfrentar os desafios com êxito e maior grau de assertividade.

No final de tudo a nossa humanidade sempre nos oferecerá duas perspectivas: uma é a de ver o que é real e a outra o que não existe.

Deijone do Valle
Neuropsicóloga

5 comentários:

  1. Dra. Lindo texto maravilhoso um de seus textos mais densos e complexos um misto de análise entre esses três seres que habitam nossa alma e que lutam entre si... Nós que vivemos nessa linha tênue entre razão e emoção, fazemos malabarismo diários na arte de viver neste grande palco , chamado:vida.

    ResponderExcluir
  2. Obrigada Wanessa, você é uma pessoa bastante sensata e ao mesmo tempo sensível, tem conseguido manter um bom equilíbrio entre Razão e Emoção. Bjs

    ResponderExcluir
  3. Vc me surpreende sempre Dra Deijone do Vale

    ResponderExcluir